Procurar:

Sobre o teletrabalho e clausura social como nova realidade de vida, e o ganho de consciência que advém de se resistir ao novo status quo

Share it Please

Blue Moon - Sarah Perry (2008)

* * *

Para muitas profissões, o exercício do trabalho envolve espaços característicos bem diferentes daquelas que temos em casa. Estes trabalhos implicam também movimentos, ações, posições, solicitações distintas daquelas que se encontram na cozinha, quarto ou sala de estar da residência. Porém, isso não é verdade para uma miríade de profissões em que estar na própria casa a trabalhar não implica necessariamente uma mudança face aos movimentos, ações, posições e solicitações típicos do seu local de trabalho habitual. Para estas, a imposição do teletrabalho virá consolidar que esta solução não é apenas de contingência, é um recurso laboral perfeitamente válido e recomendável desde que se salvaguarde a ética profissional (horários, produtividade, etc).

Em todo o caso, mesmo para aqueles cuja profissão é perfeitamente desempenhável em regime de teletrabalho a imposição de restrições à mobilidade levantam novos desafios contra as rotinas instaladas e contra as liberdades silenciosamente dadas por adquiridas. Contrariar hábitos como o de tomar o café de manhã ou ao almoço, da frequência e facilidade com que se fazem compras, da autonomia para comer fora de casa, ou mesmo do desanuviar que a comutação casa-trabalho-casa feita em transporte próprio ou coletivo permitem, encerram inesperadas pedras no sapato, condicionamentos que só se vencem com disciplina própria ou fiscalização por autoridades externas. Até que o novo normal se instale.

Todas os ângulos por onde estamos a sofrer restrições são forças psicológicas por onde mais claramente ganharemos consciência sobre quem temos sido no dia-a-dia. A maior ou menor facilidade com que nos adaptamos a este novo normal revela sobre nós quão dependentes estamos de um status quo específico para funcionar e existir na plenitude das nossas capacidades ou preferências. O vírus veio pôr à prova a civilização na questão da adaptabilidade, individual e coletiva.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...